June 17, 2016

3 MANEIRAS DE REVIVER O “VERÃO DO AMOR” DE SAN FRANCISCO EM HAIGHT-ASHBURY

Beyondthe ‘Stro é uma nova série Alternativa/GayCities que explora distritos populares de San Francisco fora do bairro do Castro(considerado o bairro “gay” mais famoso do mundo) onde nossos amigos LGBT se misturam com os héteros.

O icônico “Verão do Amor” de San Francisco começou primeiramente no bairro de Haight-Ashbury. O movimento do amor livre que começou no Haight durante os anos 60 também abriu caminho para que a região se tornasse uma referência gay boêmia. A filosofia do amor livre não foi empecilho e a revolução sexual envolveu a todos nós.

“Eu chamo o Haight de segundo ‘Castro’”, disse o gentil intelectual Evans, de 68 anos, que mora na região desde os anos 70. Ele diz que a comunidade LGBT se atraiu pelo Haight, em princípio, por ter sido o epicentro do movimento do amor livre e da exploração da imagem sexual. O clima de amor livre do Haight permaneceu durante as décadas de 1970 e 1980, mas foi interrompido tragicamente pela epidemia de AIDS.

“Todo mundo sabe que o Castro foi dizimado pela AIDS”, continua Evan. “Exatamente o mesmo aconteceu com a comunidade gay do Haight, mas o Castro se recuperou. O Haight, não”.

Mesmo décadas após os saudosos dias de “glória gay” do Haight, como Evans apelidou, ainda existem vários lugares que mantiveram vivo o amor do bairro pela alma hippie.  

1. Para reviver os dias de glória do Haight, você deve visitar a boemia vintagelocal.
Felizmente, o Haight ainda é o lugar certo para fazer compras no estilo vintage. Na Rua Haight temos várias lojas onde é possível encontrar a chamada “moda reciclada”. A Buffalo Exchange é a escolha certa para trajes casuais vintage, e na Held Over também é possível encontrar roupas rock n’ roll a preços razoáveis. Se você procura por um look mais selvagem e chamativo, a Piedmont Boutique é a escolha certa. Basta procurar as pernas gigantes balançando na vitrine da loja.

Assim que estiver vestindo o seu modelito boho-chic, vá à Amoeba Music, famosa loja de vinis popular entre públicos de todas as idades. Em um passado não muito distante, a Amoeba foi palco de pequenas apresentações com artistas indie e com seguidores homossexuais, como Robyn e Lana Del Rey.

2. Uma trilha urbana pelo Haight pode se tornar uma verdadeira trilha no Golden Gate Park.
A versão de San Francisco do Central Park, só que maior, é casa do Museu de Young, do Conservatório de Flores, da Academia de Ciências da Califórnia, do AIDS Memorial Grove (Memorial da AIDS), Hippie Hill e do Estádio Kezar, onde foram conduzidos os primeiros Jogos Gays em 1982.

3. O Haight está cheio de lugares casuais para um lanche rápido, desde pizza a Ben &Jerry’s.
Mas também existem lugares mais formais, se você estiver a fim de um jantar mais sofisticado.

O Bambino’s Ristorante é um restaurante italiano com 30 anos de história, próximo ao Cole Valley, que apresenta delicias como o ravióli de abóbora e a pizza feita à mão. Caso você esteja visitando o Haight pela manhã, passe no Zazie para apreciar um ótimo café da manha com inspiração francesa ao ar livre.

Quanto à vida noturna, o Trax Bar é o último bar gay em Haight-Ashbury. Como tal, esse bar totalmente descontraído com coquetéis de baixo custo atraem todos os tipos de pessoa, o que faz do bar a opção perfeita para uma noite eclética.

Outra casa muito popular é o Milk Bar, um bar supermoderno onde se apresentam bandas e DJs locais. Na Rua Haight, mas tecnicamente não dentro de Haight-Ashbury, o Undergroud SF está a poucas quadras do Trax e é tão interessante quanto. As suas populares festas semanais contam com a presença dos nativos mais sensuais, que fazem a pista de dança pegar fogo.

LEIA MAIS ARTIGOS

Fotos por: Charles Law

COMO OS VISITANTES VÊEM SF