October 22, 2019

GUIA DA ARQUITETURA DE SÃO FRANCISCO

Essa história chega até nós pelas mãos da incrível equipe da Bold Italic. A Bold Italic é uma revista online, loja e central de eventos de São Francisco. Celebramos o espírito livre da cidade.

Para quem sabe olhar, a história de São Francisco pode ser lida em suas casas. Os estilos mais antigos mostram o crescimento da aldeia pioneira desmazelada que foi se transformando em cidade cosmopolita. Cada era tem suas características. A estética da virada do século mostra as dificuldades causadas pelos avanços e também pelas perdas provocadas pela industrialização. O século passado trouxe mudanças em ritmo frenético. O estilo modernista reflete revoluções tecnológicas e sociais que transformaram a paisagem física e cultural da cidade.

Estes são os estilos arquitetônicos das casas de São Francisco.

Italianato

Quando os especuladores da corrida do outro chegaram em 1849, o estilo em voga era o italianato, que tentava imitar as casas de campo e vilas rurais da Itália. A principal decoração dessas casas são os suportes sob o telhado e janelas e portas com frontão.

As primeiras casas em estilo italianato eram simples caixas com fachadas retas, como as de antigas cidades do velho oeste (exatamente o que São Francisco era nessa época). Conforme a cidade e as técnicas decorativas se sofisticaram, janelas do tipo bay window octogonais em vários pisos tornaram-se um elemento importante. As casas no estilo italianato eram onipresentes na cidade, mas a maioria foi destruída no incêndio de 1906.

Restam algumas a oeste de Divisadero e ao sul da 20th Street, no Mission.

Estilo stick

Antigamente, São Francisco estava cercada por florestas seculares. Com o estabelecimento da revolução industrial, a cidade estava pronta para um estilo que aproveitasse seus recursos naturais. As florestas de sequoias foram transformadas em tábuas. As novas práticas de emolduramento começaram a usar madeira padronizada. As fachadas e telhados passaram a ser mais sofisticados. Depois da construção, toda e qualquer superfície era coberta com acabamentos em madeira trabalhada para criar padrões geométricos.

O nome stick, que significa graveto, simboliza uma ironia trágica. Basicamente, as casas são construídas e decoradas com madeira, começando nas antigas florestas de sequoias e acabando em uma bela floresta de casas decoradas.

Casas no estilo stick são comuns em bairros que sobreviveram ao incêndio de 1906, como Western Addition, Noe e Eureka Valleys, Mission e Potrero Hill.

Queen Anne

Da noite para o dia, São Francisco passou de colônia distante a cidade industrial de referência mundial. Os moradores queriam exibir suas novas riquezas em casas opulentas. Os projetos tomavam liberdades, com muitos detalhes e beleza. As casas no estilo Queen Anne são muito enfeitadas e exageradas, com infinitas combinações de janelas panorâmicas, torres e frontões decorados.

O acabamento costuma ser feminino e muito enfeitado. Um exemplo são as Painted Ladies na Alamo Square: mergulhadas em flores e cheias de brilhos dourados.

Exemplos mais extravagantes de casas no estilo Queen Anne podem ser vistos em Ashbury Heights, Alamo Square, Cow Hollow e Pacific Heights.

Eduardiano

Na virada do século, o Ocidente gostava de se ver como uma extensão direta da Roma antiga. Mas, em São Francisco, eles queriam outra coisa: ser modernos.

Nessa tensão entre serem embaixadores da cultura ocidental e viverem no mundo moderno, os são-franciscanos criaram o estilo eduardiano, com casas onde esposas de industriais vestiam togas para receber seus convidados. As casas são menos opulentas do que as Queen Anne e trazem acabamentos mais masculinos, com detalhes emprestados da arquitetura dos templos antigos. As eduardianas tinham menos paredes internas, com grandes salões.

A maior concentração dessas casas está nas regiões reconstruídas depois do incêndio, como os bairros South of Market, centro e Mission.

Missionário

Com a industrialização, a cidade enfrentou a dura realidade da vida urbana moderna e começou a romantizar a vida simples rural dos missionários fundadores. O estilo missionário foi uma tentativa de voltar no tempo, ressuscitando o ambiente das missões espanholas, com pouca decoração em fachadas de alvenaria.

Os principais elementos do estilo missionário foram reinterpretados já quase nos anos vinte como o “estilo colonial espanhol”, até hoje o mais popular na Califórnia. Ele foi usado pelas incorporadoras para romantizar o velho oeste. Essa nostalgia acabou virando um truque de marketing para vender casas para moradores do meio-oeste dos EUA, que buscavam um pouco de sol e glamour na Califórnia.

Encontram-se casas em estilo missionário nos bairros Glen Park, Sunset, Richmond, periferia de Mission e Noe Valley.

Artesanal

No começo do século 20, corporações e máquinas começavam a produzir de tudo. Havia o temor de que os ofícios tradicionais fossem ultrapassados pelas linhas de produção. A casa artesanal não tem acabamentos feitos a máquina, ela é toda feita a mão por artesãos especializados. O movimento deu vida nova aos ofícios, elevando-os ao status de arte. A casa em estilo artesanal não tem nenhuma decoração. Seu argumento é que a própria criação da casa já é uma obra de arte.

A ironia desse estilo é que o movimento eleva o status da casa feita a mão, considerando-as melhores do que as casas produzidas em massa. Mas, assim como na cultura hipster de produtos artesanais e produção individualizada, somente os ricos podiam pagar.

As casas artesanais foram construídas longe do centro da cidade. Você pode vê-las em Glen Park, Sunset, Richmond, periferia do Mission e Noe Valley.

Art Déco

Com punhos de aço e um entusiasmo desenfreado pela indústria, os prédios dos anos 20 arranhavam os céus. As casas Art Déco são abundantemente decoradas com padrões geométricos que brincam com a verticalidade e criam ilusões que fazem parecer que os prédios desaparecem no céu. Os materiais são modernos, de uma era de máquinas: cromo, vidro, aço. Tudo nesses prédios inspira otimismo e tecnologia.

Personificando o capitalismo, o estilo foi usado principalmente em prédios comerciais, mas há algumas casas Art Déco em Pacific Heights, Sunset, Marina e Sea Cliff.

Primeiros subúrbios

As empreiteiras tiveram uma ideia quando começaram a chegar à Califórnia famílias fugindo da seca e das tempestades de areia chamadas de Dust Bowl. Elas descobriram que podiam ganhar muito dinheiro comprando terrenos longe do centro da cidade e construindo fileiras de casas praticamente idênticas. Para maximizar seus lucros, as plantas eram sempre iguais, repetidas como numa linha de produção. A década de 30 viu nascer a era dos loteamentos, que transformaram toda a paisagem americana.

As empreiteiras criavam uma agitação com o auxílio da imprensa: o San Francisco Chronicle publicava artigos louvando os novos empreendimentos (enquanto vendia páginas de anúncios para as empreiteiras) e as fachadas estilizadas e novos modelos de plantas ajudavam a manter o interesse (e os lucros) em ascensão.

Essas casas são onipresentes nos bairros Marina, Sunset, Richmond, Excelsior, Visitation Valley, Hunters Point, Bernal Heights, Noe Valley, Potrero Hill e Glen Park.

Streamline Moderne

O desespero da crise de 1929 deixou os cidadãos sonhando com viagens para lugares exóticos. O estilo dos anos 1930 dava destaque às viagens de luxo em alta velocidade. O acabamento aerodinâmico dos trens e o convés horizontal e as amuradas dos navios de luxo inspiraram as casas Streamline Moderne, também chamadas paquebot ou aerodinâmico. Silhuetas baixas e alongadas são acentuadas sempre que possível com decorações horizontais e cantos arredondados que lembram a proa e escotilhas de iates de luxo.

O estilo pode ser encontrado nas últimas regiões construídas, como Sunset, Excelsior, periferia do Mission e Noe Valley.

Internacional

Com a Depressão, o capitalismo perdeu o prestígio, e o socialismo começou a parecer bem interessante. O mundo estava preparado para um movimento estético que incorporasse esse novo espírito cooperativo. O estilo internacional foi apresentado como um estilo para o mundo todo. A Exposição Internacional do Golden Gate de 1939 na Treasure Island exibiu esse estilo arquitetônico minimalista, inspirado na tecnologia e não na história. A ideia era deixar para trás as identidades culturais individuais, e criar um mundo unificado. A casa internacional elimina qualquer decoração que não seja útil. Nunca se viram formas tão simples e quadradas. Hoje é comum dizerem que elas parecem caixas sem graça, mas as linhas limpas eram revolucionárias na época.

Casas no estilo internacional podem ser vistas no Noe Valley, Sea Cliff, Twin Peaks, alto Market, Laurel Village e Golden Gate Heights.

Modernista

Nos anos 50, era comum acreditar que logo todos viveríamos como os Jetsons. Poucas paredes e muitos vidros faziam com que os interiores e exteriores das casas se misturassem. Em 1950, São Francisco praticamente não tinha mais espaço para novas construções. A exceção era o alto dos morros, com ventos que antes eram considerados agressivos demais para se morar. Mas, com novas tecnologias de isolamento, essas áreas ficaram disponíveis para as empreiteiras. Afinal de contas, com vistas como aquelas, para que sair de casa?

As casas modernistas do meio do século ficam em Diamond Heights, Twin Peaks e Golden Gate Heights.

Pós-moderno

No começo, o minimalismo parecia subversivo, mas os baby-boomers o consideravam sem-graça, monótono e previsível. As casas modernistas pareciam caixotes e, para eles, era hora de ter novas ideias.

São Francisco estava no epicentro de uma mudança radical. Os movimentos pelos direitos civis, liberação feminina e revolução sexual criavam situações inéditas. A cultura jovem difundia amor livre, drogas e rock’n’roll. Nesse espírito de vale-tudo, os estilos se misturaram.

Este estilo pode parecer esquisito, impossível, surpreendente ou desajeitado. Foram construídas casas pós-modernas qualquer lugar onde ainda se encontrassem lotes vazios, como Sunset, Golden Gate Heights, Diamond Heights, Bernal Heights, ou onde prédios industriais ultrapassados estavam em fase de remoção – Potrero Hill, Mission, sul do Market e Mission Bay.

São Francisco Hotéis

 

COMO OS VISITANTES VÊEM SF